Sete bilhões de sonhos. Um planeta. Consuma com moderação

ARTIGO ESPECIAL – DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE

Com esse lema, a ONU alerta para o consumo consciente nas comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente, a ser celebrado no dia 05 de junho, e a Âmbito promove a campanha Re-pensando o futuro – Um novo jeito de pensar a questão ambiental.

Não é comum associarmos as nossas ações aos problemas ambientais enfrentados. O cidadão, geralmente, não se percebe como parte da temática ambiental. Para ele, esse é um assunto que está à margem da sua vida diária: “eu estou aqui e a natureza está lá”.

No entanto, os nossos comportamentos estão muito mais ligados (e influenciando) à questão ambiental do que podemos imaginar.

Repensar estilos de vida e escolhas de consumo são posturas, que a cada dia mais, precisam ser adotadas pela sociedade, pois, ignorar o meio em que se está inserido transformou-se em um grande risco ao nosso destino.

Percebe-se que a sociedade atual vive sob um forte paradoxo: ao mesmo tempo em que se situa em uma sociedade que cria os riscos, deve lutar para se desvencilhar de seus efeitos.

Os estímulos de consumo são infinitos. A todo momento os meios de comunicação dizem o que devemos comprar, comer e vestir. As tentações estão por todas as partes: criam necessidades nunca antes existentes e nos fazem acreditar nelas.

Mesmo nesse cenário, há pessoas que já conseguiram se atentar ao fato de que o seu agir no mundo pode impactá-lo de maneira mais positiva.

Novas formas de se relacionar com as necessidades de compras vão despontando e se firmando, para um público, cada vez mais crescente de novos consumidores.

Termos como economia colaborativa, consumo consciente e compra responsável começam a ser incorporadas nas falas e ações de uma parcela da sociedade.

Neste contexto, os brechós se firmam como empreendimentos economicamente rentáveis e sob o ponto de vista ambiental, uma maneira de prolongar a vida útil de várias mercadorias.

E é nessa toada que a empresária Anna Christina Rocha conduz o seu negócio, a boutique de seminovos, Tudo Novo de Novo.

Na maneira em que seleciona e coloca à venda os seus produtos, Anna Christina acredita ser pioneira em Belo Horizonte. O mercado de brechó no Brasil, ainda enfrenta algum preconceito. “Com o perfil da minha loja conseguimos quebrar um pouco esse paradigma de que brechó é de roupa descartada, antiga ou fora de moda. A minha proposta aqui é mostrar que existe sim uma possibilidade de ter um mercado de produtos reciclados bons, em perfeito estado de uso e que é possível ganhar dinheiro, trabalhar honestamente e oferecer produtos de boa qualidade com ótimos preços”.

É verdade que a pegada da sustentabilidade não esteve presente desde a origem do empreendimento, ela foi se colocando ao longo do tempo. “A questão ambiental é uma preocupação sim, ainda que não seja muito racional na cabeça de uma grande parte da população, mas muita gente já se preocupa. Tem um perfil de público que tem a consciência que o nosso negócio além de deixar os filhos mais felizes e confortáveis, gastando muito menos, proporciona um consumo consciente”.

Anna Christina conta que é preciso perceber o real papel na venda de produtos pelos brechós: “você  vai recuperar uma parte do que investiu e ainda fazer com que a utilização daquele produto seja prolongada”.

O mercado de seminovos está num crescente: seja em razão da atual situação econômica do país, seja em razão da ampliação da consciência ambiental. Comprovando este último dado, a Tudo Novo de Novo já está com novo endereço e suas novas instalações estão bem maiores para acomodar as mais de 10 mil peças de seu acervo.

Ampliando o conceito de reutilização já presente na essência do negócio, Anna Cristina pretende imprimir uma pegada sustentável também no layout da nova loja: “estou buscando várias alternativas de decoração de coisas recicladas, diferentes, divertidas, para mostrar que dá para fazer uma coisa legal, de bom gosto, de qualidade e que seja reutilizada”.

As perspectivas para este tipo de negócio são as melhores possíveis, contudo, a proprietária da Tudo Novo de Novo faz um alerta sobre o mercado de reutilizados: “a reciclagem é muito interessante e sempre tento fazer uma pegada assim na loja porque eu acho que tem a ver com o conceito do que eu trabalho”.

O brechó é apenas uma das possibilidades que se abre no mercado de reutilização e de aumento de ciclo de vida de bens de consumo. Há outras formas e provocações que podem partir do empresariado, do poder público e da sociedade como um todo, sejam inerentes ao negócio ou como consequência de hábitos diários, aptas a provocar impactos positivos ao meio ambiente.

A reflexão e convite feitos são no sentido de reconhecer e colocar em prática as alternativas que estão ao alcance de nossa contribuição individual ou nos grupos a que pertencemos (grupo familiar, religioso, acadêmico, de convívio social, etc.) que podem ocasionar um consumo realmente mais consciente.

Tornar o mercado um espaço sustentável, socialmente justo e economicamente viável é, de fato, um dever de todos.

Tudo Novo de Novo
Rua Paulo Simoni, nº 123 – Santo Antônio
Anna Christina – (31) 98484-1012 / (31) 3653-0559
tudonovodenovobh@hotmail.com
www.facebook.com/tudo.denovo.10